Biografia Ricardo Ragazzo

Ricardo Ragazzo

Ricardo Ragazzo tem quatro livros publicados. O primeiro, um livro de contos intitulado “a.C/d.C – Antes destes Contos, depois desses Contos”, foi uma autopublicação pela Editora Baraúna (2009) e serviu como porta de entrada para o meio literário.

Em 2011 publicou seu primeiro romance pela editora Novo Século. O thriller de suspense e terror “72 horas para morrer” foi considerado um livro bastante polêmico e esgotou a primeira tiragem em menos de um ano. Em 2013, ainda pela Novo Século, lançou a fantasia urbana “A Garota das Cicatrizes de Fogo” que recebeu destaque na bienal do Rio do mesmo ano.

Seus dois primeiros livros atraíram a atenção de uma grande editora e em outubro de 2014, Ricardo Ragazzo assinou contrato com a editora Planeta de Livros do Brasil. No ano seguinte, lançou o livro “Cidade Banida”, a primeira parte um romance distópico que se passa em um futuro pós-apocalíptico. A segunda– e última – parte, “Cidade Soberana” chegará às livrarias em 2017.

Mesmo com pouco tempo no mercado, “Cidade Banida” já começa a chamar a atenção do mercado nacional e internacional. No início de setembro, a editora Planeta fechou um contrato de agenciamento da obra para comercialização em outros países do mundo.

Amante fervoroso da arte de contar histórias, o autor criou um curso intitulado “25 motivos que fazem o leitor largar o seu livro” em que foca, primordialmente, nos principais erros cometidos por quem inicia sua carreira no mercado literário de entretenimento.

Formado em Coaching pela ABCD – Associação Brasileira de Coaching e Desenvolvimento, o autor é idealizador do curso “Coaching Literário – Literatura de dentro para fora” que parte da premissa de que tão importante quanto o que escrevemos é a razão pela qual decidimos escrever. Por isso, o curso foca em duas coisas distintas: A Arte e O Artista

Ademais, também desenvolveu, ao lado do amigo e autor Carlos Matos (O Empreendedor Viável – Ed. Leya), um baralho de storytelling fundamentado nos arquétipos de Carl Jung que visa ensinar autores a criarem premissas interessantes para suas histórias.